Miíase - A conhecida bicheira | Tudo Sobre Cachorros

Miíase – A conhecida bicheira

Escrito por: Tudo Sobre Cachorros Atualizado em 16/06/2015

A miíase é conhecida popularmente como bicheira. É uma infestação de larvas de mosca nos animais que vivem pelas ruas (não necessariamente animais abandonados) ou que, por serem idosos ou estarem com doentes, não conseguem cuidar da própria higiene.
 
A afecção do parasita pode ser nos tecidos (pele) ou nas cavidades do corpo do animal. Várias espécies de moscas podem causar a miíase. Essas moscas podem depositar apenas uma larva (berne) ou depositar vários ovos na lesão, que é quando se configura a miíase, ou bicheira. As afecções são separadas em duas categorias:
 
Biontófagas: quando as larvas invadem o tecido vivo (o cachorro não precisa estar ferido para que isso aconteça). Nessa categoria, estão as espécies de insetos callitroga americana, dermatobia hominis e oestrus ovis.
 
Necrobiontófagas: quando as larvas invadem tecidos já machucados por necrose, onde elas irão se alimentar do tecido morto. As moscas deste grupo são: licilia, sarcophaga, phaenicia, calliphora, musca, mucina e fannia.
 
Leia aqui tudo sobre a Berne.
 
A mosca varejeira são as moscas mais comuns causadoras das miíases.
 

mosca varejeira miiase bicheira

A mosca varejeira é a mais conhecida por causar bicheira.


 
 

Sintomas da miíase

 
– Dor
– Dificuldade pra se mover
– Dificuldades pra andar
– Inchaços subcutâneos firmes e distulados
 
É possível observar as larvas na fístula e ao redor delas o tecido necrosado. Se a lesão for na região cutânea, é normal uma ferida aberta e com forte odor. Se a infestação for grande, o animal pode inclusive falecer.
 
As infecções secundárias das lesões caracterizam-se por um macerado, fístulas e úlceras, onde também são visíveis grandes quantidades de larvas. Os olhos e o cérebro também podem ser afetados. Isso pode acontecer quando a infecção é feita por uma larva migratória que atinge primeiramente os ouvidos ou os olhos.
 
 

Diagnóstico da Miíase

 
Normalmente acomete animais que ficam fora de casa, no quintal ou na rua. É possível ver larvas nos ferimentos. O veterinário saberá diagnosticar através de um exame clínico.
 
 

Tratamento da Miíase

 
O veterinário irá remover as larvas intactas com uma pinça. Normalmente ele irá usar um anestésico para facilitar a remoção. Ele irá separar os ferimentos e o tecido necrosado para serem removidos. Depois irá lavar as feridas com uma solução própria e o proprietário irá continuar o tratamento em casa, lavando as feridas 2 vezes por dia até a completa cura. Pode ser necessário o uso do colar para que o cão não lamba o machucado. Antibióticos injetáveis ou por via oral podem ser receitados pelo veterinário.
 
 

Como prevenir a Miíase

 
É possível prevenir a bicheira. Se o cachorro ficar muito tempo fora de casa, é preciso verificar sempre se tem alguma ferida em sua pele ou cavidades (boca, ouvido, olhos) e tratar imediatamente. Além disso, proteger a região e não deixar o cachorro exposto em ambientes que podem ter moscas, que irão depositar larvas nessas feridas.
 
O local onde o seu cachorro fica precisa ser limpo e higienizado com frequência. O excesso de fezes atrai moscas, frutas, lixo, etc também atrai moscas que podem depositar suas larvas em seu cão.
 
Como sempre falamos aqui no Tudo Sobre Cachorros, esteja sempre analisando seu cachorro, verificando se ele mudou de comportamento, se parou de comer e beber água, se apresenta coceira ou se tem alguma ferida em sua pele.
 

miiase no ouvido

Miíase ou bicheira no ouvido


 
 

Miíase ou bicheira

 
As larvas tendem a escavar a pele e migrar para outros locais, atingindo assim outros tecidos além da pele. Quando as larvas atingem a região dos olhos, a doença passa a se chamar oftalmiíase. Pode acontecer de uma larva migratória chegar até o cérebro, desencadeando assim problemas neurológicos.
 
A miíase ou bicheira não acomete apenas cães e gatos, ela pode atingir animais de grande porte como bois, vacas e cavalos, além de também afetar seres humanos. Nos humanos, a miíase ocorre de forma semelhante aos animais, normalmente quando a pessoa é idosa, está debilitada e não tem higiene adequada.
 
A forma biontófaga acomete tecidos sem que eles precisem estar com feriadas. Além disso, o ciclo constante de ovos, larvas e moscas impede os tecidos de se regenerarem e cicatrizarem sozinhos, fazendo com que fique cada vez mais difícil a cura e a recuperação.
 
A miíase ou bicheira é mais comum no verão e no outono. Isso porque são períodos mais chuvosos e o ciclo das moscas fica mais rápido. A doença também é mais frequente em locais com muitos animais ou com muita vegetação, pois isso atrai mais moscas.
 
 

Tipos de miíase

 
Já citamos a biontófaga – que atinge tecidos sadios – e a necrobiontófaga – que atinge tecidos necrosados. Existem outras classificações pra doença, dependendo do local em que as larvas estão.
 

Miíase cutânea

Esse tipo de bicheira forma lesões que parecem furúnculos, por causa disso é conhecida como Miíase furuncolosa.
 

Miíase cavitária

Essa é uma forma mais ampla e é subdividida de acordo com a localização. A Miíase de feridas, a Miíase intestinal, a Otomiíase (ouvidos), a Nasomiíase (nariz), a Oftalmiíase (olhos) e a Cistomiíase (bexiga).
 

miiase na boca

Miíase ou bicheira na boca

Snapchat Tudo Sobre CachorrosInstagram Tudo Sobre Cachorros

Ganhe um Calendário 2016

Assine GRÁTIS a Newsletter, receba os artigos no seu e-mail e ganhe um lindo Calendário 2016 pra você baixar e imprimir!

Mãe de cachorro?

Junte-se a nós!

Cadastre-se para conhecer a DogHero, serviço de hospedagem para cães, e receba toda semana novidades do mundo canino.