Cães de pessoas idosas – problemas comportamentais

Escrito por: Bruno Leite

Entenda porque os cães de idosos apresentam tantos problemas comportamentais.
 
É cada dia mais comum vermos cães passeando com idosos nas ruas dos centros urbanos. Essa parceria é quase sempre um refúgio do idoso à solidão vigente numa sociedade de valores cada vez mais individualizados. Porém, não raro, costumo ver sérios problemas comportamentais acompanhando essa relação excessivamente passional e muitas vezes pouco respeitosa. Sim, cães de idosos apresentam mais instabilidade psicológica.
 
Inúmeros motivos contribuem para esse desequilíbrio comportamental no cão. O maior deles é o que eu chamo de “síndrome do amor demais”. É mais comum, embora não exclusiva, em mães, que após a partida dos filhos já crescidos canalizam todo o amor para os cães, os humanizando e os infantilizando a níveis altíssimos, gerando um enorme conflito de liderança no cão, que reflete em sua instabilidade psicológica.
 
Cães nascem para seguir, principalmente em suas relações com humanos. A partir do momento que ele é mimado e consegue tudo o que deseja, os valores se invertem e ele passa a ser o líder. Ele não quer ser líder, porém enxerga instabilidade num humano que não age com uma energia calma e firme. Cães, ao contrário de humanos, não seguem líderes instáveis; por isso, a contragosto, ele assume o comando. Isso é conflito de liderança: o instinto de seguir humanos versus o instinto de manter a matilha viva.  Evidente que o instinto de sobrevivência prevalece.
 
Outro problema corriqueiro é a falta de estimulo físico ao cão. É comum idosos se mudarem para residências menores, restringindo o espaço dos cães, que necessitam de exercícios diários para se manterem equilibrados. Some-se a isso o menor nível de energia do idoso, que pode já não conseguir suprir a necessidade de exercícios físicos que seu cão precisa para se manter-se saudável e livre da energia acumulada que lhe causa frustração.
 
Na natureza, cães caminham de 8 a 12 horas por dia em busca de água e comida, e sempre seguindo seu líder. Natural que se sintam frustrados sem um mínimo de exercício físico. Frustração gera ansiedade, que gera latidos excessivos, comportamento destrutivo, hiperatividade, etc. O cão doméstico precisa de no mínimo 30 a 120 minutos de caminhadas diárias, dependendo do nível de energia do cachorro, podendo ser dividido em alguns passeios menores que somem este tempo total. O líder sempre deve conduzir o passeio e jamais deixar o cão puxar a guia. Lembre-se que cães são cães 24 horas por dia e 7 dias por semana, portanto devem passear 365 dias no ano.
 
No mais, aproveite a companhia de seu cão e faça como ele, não se apegue aos erros do passado, apenas viva intensamente o presente.
 

   


176 Compart.
Compartilhar175
WhatsApp
Twittar
Pin1
  • GANHE uma Carteirinha de Emergência
  • GANHE um Calendário 2017
  • RECEBA dicas semanais de cuidados com seu cão