8 curiosidades sobre os bigodes dos cachorros

Escrito por: Thayse Mota

Você sabia que os bigodes dos cachorros não servem apenas para jogar a água para fora do pote enquanto eles se hidratam? Sim, esses pelos diferentes têm outras funções que muitos donos de peludos nem ficam sabendo. Conheça algumas curiosidades sobre os bigodes dos cães.
 

1. Os bigodes caninos servem como antenas

Os bigodes dos cães não são apenas maiores e mais grossos que os demais pelos do bichinho, eles também brotam de um folículo capilar que é inervado por muitos nervos sensoriais que ajudam o cão a explorar melhor ao seu redor. Basicamente, quando qualquer coisa encosta nos bigodes do cachorro, o bigode vibra e estimula os nervos sensoriais, que vão providenciar um feedback sobre o ambiente em que o animal se encontra. Tudo isso ocorre em questão de milésimos de segundos. Essas “antenas” ajudam o animal em ocasiões como uma possível comunicação com outra espécie, agressões, dispersão de feromônios, aquisição de comida e até mesmo para manter a cabeça dele erguida durante a natação.
 
Quer entender melhor essas experiências sensoriais? Os bigodes servem para o cachorro explorar o mundo da mesma forma que os bebês usam suas mãozinhas e boquinhas para conhecer algum objeto novo.
 

2. O termo ‘bigode’ é um apelido

O termo técnico correto para nos referirmos aos bigodes dos cães é “vibrissas”, que vem da palavra latina Vibrio, cujo significado é ‘vibrar’. Legal né?
 

3. Os cães tem mais de um tipo de bigode

Quando falamos em bigodes, automaticamente pensamos nos pelinhos que ficam logo acima dos lábios superiores dos cães. Porém, dependendo da localização do bigode, o nome dele varia.
Você deve estar se perguntando: ‘Como assim? O bigode tem mais de um lugar?’. Sim, além do bigode convencional, os cachorros ainda apresentam bigodes nas bochechas, acima dos olhos e no queixo. O bigode acima dos lábios superiores é conhecido por “bigode mistacial”. Os pelos que ficam quase no fim das bochechas chamam-se bigode genal. Ainda, os cães possuem os bigodes supra-ciliares ou supraorbitais e os tufos ou vibrissas interramais, que se localizam acima dos olhos e no queixo, respectivamente.
 

4. Os bigodes ajudam no ponto cego do cachorro

Por incrível que pareça, não são apenas os automóveis que possuem ponto cego, na realidade os cães também têm. Você já se questionou porque o cão não enxerga o petisco que você colocou bem embaixo do focinho dele? Há duas possibilidades de respostas: ou seu cão não enxergou porque a cor do petisco é muito próxima à cor do chão, ou porque o petisco está no ponto cedo do animal. Neste caso, as vibrissas interramais – ou os bigodes do queixo, para facilitar – contribuem para que o cão saiba o que está bem embaixo da cabeça dele. Esses pelinhos especiais ajudam o peludo a calcular a distância da boca ao prato de comida e água, ou quão próxima está a cabeça dele do chão quando está farejando, etc.
 
cachorro-bigode
 

     

5. Os bigodes têm função protetora

Os bigodinhos que ficam bem acima dos olhos dos cães são praticamente uma extensão dos seus cílios. Eles protegem os olhinhos de qualquer dano através do reflexo de uma piscada. Se qualquer coisa no ambiente toca esses bigodes, o cachorro pisca automaticamente. Quer um exemplo? Você já tentou pingar um colírio nos olhos do seu peludo, e ele fechou bem na hora em que a gota estava para cair? A culpa não é necessariamente dele! Pois é, muito provavelmente sua mão esbarrou nos bigodes supra-ciliares do cão, segundos antes de aplicar o colírio. Agora você já sabe e poderá tomar mais cuidado da próxima vez.
 

6. Os bigodes não são locais para receberem carinho

Você mesmo pode comprovar este fato, tocando apenas um dos bigodes do seu cão. Ele provavelmente irá desviar do seu toque ou puxar o rosto para longe de sua mão. Não é doloroso, mas toques repetidos podem muito bem ser irritante por causa da reação do nervo sensorial ao movimento.
 

7. Os bigodes nunca devem ser cortados

Se você ainda tem dúvidas com relação a poder cortar ou não os bigodes do seu cão, sugiro que leia novamente os itens 1, 4 e 5 acima. Como já foi falado, os bigodes ajudam muito nas experiências sensoriais, na proteção dos olhos e na percepção do ambiente ao seu redor. Se o bigode for cortado, embora não seja doloroso pois o pelo em si não tem receptor para dor, seu peludo pode ficar um pouco desorientado e sua consciência espacial pode diminuir por um tempo.
 

8. Os bigodes crescem novamente

Se você, por acaso, não teve intenção de aparar os bigodes do seu bichinho, mas mesmo assim isso aconteceu, não se desespere! Os pelos crescerão novamente. Só tenha paciência com a desorientação momentânea que seu cachorro pode ter no início. Por via das dúvidas, evite cortar os bigodes do seu pet.
 
Fontes:
http://www.petmd.com/dog/general-health/why-do-dogs-have-whiskers#
http://dogdiscoveries.com/dog-whiskers/
 

   


1K Compart.
Compartilhar1K
WhatsApp
Twittar
Pin